domingo, 27 de setembro de 2015

Investigação desvenda 'entranhas' da 'máquina' de sequestros do 'EI'



O grupo que se autodenomina "Estado Islâmico" tem espalhado terror principalmente nas fronteiras da Síria e, nos últimos anos, cresceu investindo em um "negócio" que se mostrou bastante lucrativo para os extremistas: os sequestros.

De acordo com uma estimativa da agência de inteligência dos Estados Unidos, os valores recebidos pelo resgate das vítimas renderam US$ 25 milhões (cerca de R$ 101,2 milhões) para o grupo extremista no ano passado.

Além disso, os sequestros realizados pelo grupo extremista servem como uma ferramenta poderosa de propaganda. Funcionam também como uma verdadeira rede criminosa, incluindo espiões, informantes, sequestradores, carcereiros e os próprios negociadores, que fazem os acordos pela liberação dos reféns.

O jornalista sírio Omar Al-Maqdud foi conhecer algumas das pessoas envolvidas nessa "máquina de sequestros" do EI e faz o relato abaixo sobre o que descobriu com a investigação.

Dois anos atrás, um jornalista americano, Steven Sotloff, veio me visitar na minha casa nos Estados Unidos e disse que estava planejando ir para a Síria.

Eu tentei convencê-lo a mudar de ideia, mas ele não me ouviu. Três dias depois, ele me mandou um e-mail de uma região próxima a Aleppo me pedindo ajuda com contatos. Não muito tempo depois, ele acabou sequestrado.

"Havia três carros. Eu podia vê-los à distância, a uns 500 metros", contou Yusuf Abubaker, um freelancer que trabalhava para Sotloff e que estava viajando com ele.

"Assim que eles viram a gente, saíram dos carros e bloquearam nosso caminho. eu queria tirar minha arma e mirar neles, mas eram cerca de 10 ou 15 caras armados na nossa frente."

Sotloff e Abubaker foram separados. "Eu tentei gritar por ele, mas eles me diziam para calar a boca", relatou Abubaker, que foi libertado depois de 15 dias por ter conexões com uma poderosa brigada anti-governo chamada "Free Syrian Army" (FSA).

Um ano depois, em setembro de 2014, o 'EI' divulgou um vídeo de Sotloff sendo decapitado. Isso aconteceu logo depois do assassinato de outro jornalista americano, James Foley, em circunstâncias semelhantes.

No total, 181 jornalistas, jornalistas-cidadãos e blogueiros foram assassinados na Síria desde 2011, de acordo com o grupo Repórteres sem Fronteiras. Pelo menos 29, incluindo nove estrangeiros, ainda estão desaparecidos ou são mantidos reféns pelo 'EI' ou outros grupos extremistas armados.

Planejamento

Na cidade de Antakya, conheci um homem sírio, antigo agente do EI, que me pediu para chamá-lo de Abu Huraira. Ele me contou que rastreava jornalistas que cobriam o conflito e ajudava a esquematizar o sequestro deles.

Para isso, ele fingia ser um refugiado sírio e pedia a freelancers da região para apresentá-lo aos jornalistas. Depois de algumas reuniões, ele sugeria um lugar próximo da fronteira para eles fazerem as filmagens. "Há crianças que vocês podem filmar e vou apresentá-los a algumas pessoas que podem ajudá-los nesse trabalho", era a promessa que ele fazia.
 
FONTE:
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu comentário aqui ou deixe sua opinião.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Sobre Mim

Minha foto
UMA PESSOA SINCERA, TEMENTE A DEUS E SERVO DE NOSSO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO. INTIMIDADE ALÉM DAS APARÊNCIAS!!!! APOIO OS SEGUINTES LINKS: (www.observandoanovaordem.blogspot.com/) (www.simceros.org/) CANAL OTANERY1, DO YOU TUBE.

Blogger Themes

Total de visualizações de página

Seguidores deste canal

Arquivo Geral do Blog

Minha lista de Sites e Blogs Parceiros

Translate this page

Receba notícias em seu e-mail

Hora Certa

Elite Maldita

Subscribe here to get our newsletter in your inbox, it is safe and EASY!

UOL AFILIADOS

LOMADEE.COM

LOMEDEE.COM