Imagens das publicações mais destacadas deste canal alternativo

São imagens referentes às verdades mundiais, que a mídia dominada pela ELITE MALDITA, não revelam e tentam abafar. Aqui nós mostramos sem cortes....

Imagens das publicações mais destacadas deste canal alternativo

São imagens referentes às verdades mundiais, que a mídia dominada pela ELITE MALDITA, não revelam e tentam abafar. Aqui nós mostramos sem cortes....

Imagens das publicações mais destacadas deste canal alternativo

São imagens referentes às verdades mundiais, que a mídia dominada pela ELITE MALDITA, não revelam e tentam abafar. Aqui nós mostramos sem cortes....

Imagens das publicações mais destacadas deste canal alternativo

São imagens referentes às verdades mundiais, que a mídia dominada pela ELITE MALDITA, não revelam e tentam abafar. Aqui nós mostramos sem cortes....

Imagens das publicações mais destacadas deste canal alternativo

São imagens referentes às verdades mundiais, que a mídia dominada pela ELITE MALDITA, não revelam e tentam abafar. Aqui nós mostramos sem cortes....

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Robôs sexuais com pênis funcional e inteligência artificial podem entrar no mercado este ano




Matt McMullen, CEO da empresaRealbotix, disse estar se preparando para lançar robôs sexuais masculinos com inteligência artificial aumentada.

O anúncio segue o lançamento da Harmony, o primeiro robô sexual feminino capaz de interagir, que foi feito no ano passado. A versão masculina, ainda sem nome, terá todas as especificações de software da Harmony, bem como um pênis biônico, segundo informações da IFLScience.




“Estamos trabalhando em uma versão masculina de um robô de IA“, disse McMullen ao Daily Star Online. “Nós finalmente teremos uma plataforma masculina e feminina disponível“.

Há 20 anos McMullen e sua outra empresa, a RealDoll, vem criando robôs. Atualmente, ele já vende manequins sexuais personalizáveis e com diferentes opções características.

Falando sobre a Harmony, o site do Realbotix apresentou detalhes particulares sobre as características da boneca, cujo lançamento foi uma “revolução” entre os especialistas. O robô é capaz de praticar uma série de expressões faciais, piscar, mover a cabeça e mexer a boca de acordo com os sons que produz. A interface de IA está exclusivamente na cabeça e, portanto, não está claro se a AI poderia controlar seu pênis biônico.

“Ela é uma combinação da boneca de alta qualidade com componentes robotizados avançados e é alimentada com a melhor I.A. (Inteligência Artificial) personalizável do Umundo, a fim de oferecer a interação mais divertida que você pode ter com uma máquina“, escreveu a Realbotix em seu site.

A Harmony recebeu uma série de críticas por parte de cientistas, que consideraram as implicações éticas de se ter relações sexuais com robôs.

Já nas redes sociais, o robô foi visto por muitos como bizarro e assustador, com vários usuários argumentado a ideia de que ele perpetuava comportamentos misóginos sobre sexo e sexualidade. Quanto a versão masculina, as expectativas são de que não seja muito melhor do que a primeira, já que a empresa faz suspense sobre o lançamento e seus detalhes.

[ IFL Science ] [ Foto: Reprodução / IFL Science / Cafemon ]


FONTE:

Share:

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Big Bang e Teoria da Evolução não contradizem cristianismo, diz Papa Francisco e ainda criticou interpretação errada do Gênesis: 'Deus não é mago'.

Declarações foram feitas à Pontifícia Academia de Ciências, no Vaticano.


Papa Francisco fez declarações sobre a ciência durante inauguração de busto em homenagem ao Papa Emérito Bento XVI (Foto: Osservatore Romano/Reuters)

O Papa Francisco afirmou nesta segunda-feira (27), durante discurso na Pontifícia Academia de Ciências, que a Teoria da Evolução e o Big Bang são reais e criticou a interpretação das pessoas que leem o Gênesis, livro da Bíblia, achando que Deus "tenha agido como um mago, com uma varinha mágica capaz de criar todas as coisas".

Segundo ele, a criação do mundo "não é obra do caos, mas deriva de um princípio supremo que cria por amor". "O Big Bang não contradiz a intervenção criadora, mas a exige", disse o pontífice na inauguração de um busto de bronze em homenagem ao Papa Emérito Bento XVI.

O Big Bang é, segundo aceita a maior parte da comunidade científica, a explosão ocorrida há cerca de 13,8 bilhões de anos que deu origem à expansão do Universo. Já a Teoria da Evolução, iniciada pelo britânico Charles Darwin (1809-1882), que prega que os seres vivos não são imutáveis e se transformam de acordo com sua melhor adaptação ao meio ambiente, pela seleção natural.

O Papa acrescentou dizendo que a "evolução da natureza não é incompatível com a noção de criação, pois exige a criação de seres que evoluem".

Ele criticou que quando as pessoas leem o livro do Gênesis, sobre como foi a origem do mundo, pensam que Deus tenha agido como um mago. "Mas não é assim", explica.

Segundo Francisco, o homem foi criado com uma característica especial – a liberdade – e recebe a incumbência de proteger a criação, mas quando a liberdade se torna autonomia, destrói a criação e homem assume o lugar do criador.

"Ao cientista, portanto, sobretudo ao cientista cristão, corresponde a atitude de interrogar-se sobre o futuro da humanidade e da Terra; de construir um mundo humano para todas as pessoas e não para um grupo ou uma classe de privilegiados", concluiu o pontífice.


FONTE:
Share:

sábado, 15 de dezembro de 2018

Rabinos fazem campanha para preparar a “coroação do Messias”



Yosef Berger, rabino responsável pelo Túmulo do rei Davi no Monte Sião, iniciou um projeto para que seja preparada uma coroa de ouro com a qual será coroado o Messias após sua chegada em Jerusalém.

O líder judeu, que afirma ser descendente da linhagem de Davi, destacou ao Breaking Israel News que a fundação do Estado de Israel e a Guerra dos Seis Dias foram ‘milagres’ e que já estamos vivendo o início da “era messiânica”. Segundo ele, ter a coroa pronta apressará a chegada do rei.



“Por 2000 anos, Israel esperou pelo Messias”, disse Berger. “Como um símbolo de nossa crença de que este período de espera terminou, devemos preparar uma coroa, já que seu primeiro ato será restaurar a dinastia davídica, algo visivelmente diferente de qualquer outra realeza que já existiu”.

Para justificar seu projeto, além de dizer que tem o apoio de outros rabinos, Berger cita a profecia de Zacarias 14:9: “E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o Senhor, e um será o seu nome”.

O rabino enfatiza que o estabelecimento de um novo rei de Israel garantiria que o exílio terminaria, estimulando a volta de todos os judeus para Israel, e apressaria a construção do Terceiro Templo, restaurando os sacrifícios.

“Somos ordenados a antecipar isso, orar por ele, em todos os momentos até que mereçamos vê-lo com nossos próprios olhos”, explica Berger. “Está escrito no Midrash [tradição rabínica] que a geração que antecipa e anseia pelo reino de Deus é redimida imediatamente. Mas essa antecipação, como todo mandamento da Torá, é fortalecida quando acompanhada por uma ação concreta.”





O responsável pelo Túmulo do rei Davi lembra todos os esforços feitos para preparar o Terceiro Templo e que os utensílios necessários estão prontos, mas não foram feitos preparativos específicos para o Messias, que construirá o Templo.

“Ao preparar uma coroa, estamos dando o primeiro passo para trazer a visão interior de um rei para a realidade. A beleza de um verdadeiro rei não foi vista no mundo desde o início do exílio e os profetas nos asseguraram que ele viria”, encerrou. O custo estimado da coroa é de 50 mil dólares.

O Instituto do Templo, grupo religioso que faz uma promoção contínua da construção do Terceiro Templo é uma instituição controversa. Além da reprodução de todos os artefatos que seriam utilizados para os cultos e sacrifícios – exceto a Arca da Aliança – eles já treinaram sacerdotes que ficariam responsáveis pela retomada do trabalho sacerdotal.


FONTE:
Share:

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Papa Francisco diz em reunião privada: “Orem por Nibiru”

Resultado de imagem para Papa Francisco diz em reunião privada: “Orem por Nibiru”

Nota do Autor: Este é um texto da web com poucas informações, por isso não levem ao pé da letra. O que podemos saber com certeza é que o Vaticano está há décadas monitorando o tal Planeta, agora sobre as palavras ditas pelo Papa, aí já é outra história...

Papa Francisco disse: “O tempo é curto” Nibiru está se aproximando de uma posição que o colocará entre a Terra e o Sol, ele diz “OREM POR NIBIRU”

Na segunda-feira passada, o papa Francisco realizou uma reunião privada na qual ele disse ao clero pontifício que orem por Nibiru, disse um insider do Vaticano falando sob condição de anonimato. A reunião ocorreu pouco depois de ele publicamente entregar uma mensagem inteiramente diferente à Academia Pontifícia das Ciências, dizendo à manada eclesiástica que as duas maiores ameaças à humanidade são a guerra nuclear e as mudanças climáticas provocadas pelo homem. Em uma assembléia clandestina no Palácio Apostólico, no entanto, o papa mudou de tom e disse a cardeais e bispos confiáveis ​​que somente suas orações coletivas podem impedir Nibiru, de soltar incontáveis ​​destruições sobre o mundo.

O Vaticano há muito tempo sabe de Nibiru. Registros do Arquivo Secreto Vaticano, que foram separados da Biblioteca Vaticana no século 17, provaram que em 1623 Antonio Margaretti, um professor de matemática do Colégio Jesuíta Romano, observou o Sistema Nibiru a partir do Observatório Tori Del Venti, uma ótica encoberta. telescópio localizado a quarenta milhas a noroeste de Roma. Mesmo naquela época, com a ótica primitiva, eles perceberam que o Sistema Nibiru novamente interceptaria nosso sistema solar interior na primeira metade do século XXI. Desde então, os Bispos de Roma temeram seu retorno e compartilharam conhecimento específico de sua existência apenas com seu mais piedoso conselho.

“As irregularidades da Igreja Católica datam de séculos”, disse nossa fonte. “Mesmo que só possamos ouvir sobre incidentes recentes. Sem mencionar Nibiru pelo nome, o Papa Francisco exortou os homens a orarem pela intervenção divina”, disse nossa fonte.

Francisco é o primeiro papa na história a escrever uma carta encíclica, chamada “mortem a stellis“, traduzida como “Morte das Estrelas“, na qual ele implorou às suas ovelhas que se pusessem de maus pensamentos e ações. Ao fazê-lo, e aceitando a graça de Deus e Seus dons, Nibiru, o Destruidor, pode abandonar nosso sistema solar sem reivindicar vidas ou causar devastação, escreveu o Papa Francisco.


FONTE Dica da leitora Carla Proença
VIA: 


Share:

O polêmico projeto europeu de direitos autorais que pode censurar a web e mudar a internet como a conhecemos

Fala-se até que os memes podem ser barrados

Para muita gente que vive na União Europeia, Artigo 13 é sinônimo de ameaça à internet. Soa como exagero, mas a expressão faz referência a uma controversa proposta de lei de direitos autorais que poderá resultar em severas restrições para o compartilhamento de imagens, vídeos e outros conteúdos criados por usuários de redes sociais e outras plataformas.


Não é só isso: outra proposta, o Artigo 11, poderá fazer com que links para sites de notícias sejam taxados em serviços que distribuem conteúdo, como o Google News.

Como e por quê? Você já vai entender.
O que é o Artigo 13?

O Artigo 13 faz parte de um plano de reforma sobre direitos autorais que, se entrar em vigor, terá validade nos países que compõem a União Europeia. O projeto foi apresentado em 2016 e, apesar de uma intensa campanha contrária, recebeu aprovação pela Comissão de Assuntos Jurídicos do Parlamento Europeu nesta quarta-feira (20).

Basicamente, o Artigo 13 determina que plataformas online, independente de tamanho ou do tipo de serviço oferecido, filtrem uploads de conteúdo para combater a violação de copyright por parte dos usuários.

Os defensores da lei afirmam que a iniciativa tornará o mercado mais justo e sustentável para criadores de conteúdo, imprensa e afins. Já os que se opõem à ideia temem por um cenário restritivo o suficiente para dificultar a liberdade de expressão e até a viabilidade de determinados negócios baseados na internet.



Para você ter ideia, vários veículos europeus passaram a chamar atenção para o assunto frisando que o Artigo 13 acabará com os memes. Talvez haja uma dose de exagero nessa afirmação, mas o “drama” aqui tem a sua razão de existir.

Frequentemente, memes são baseados em pequenos trechos de filmes, eventos esportivos ou programas de TV, por exemplo. Isso significa que boa parte dos memes vem de materiais protegidos por copyright. É aqui que a situação fica preocupante: as plataformas online terão que fazer filtragens automáticas para não violar os direitos sobre esse conteúdo.

É óbvio que a restrição não se limita a memes. Praticamente qualquer tipo de conteúdo que, de acordo com os critérios do Artigo 13, ferirem direitos autorais, deverão ser barrados em redes sociais, serviços de armazenamento e compartilhamento de mídia, plataformas colaborativas (como a Wikipedia), provedores, entre outros.
Por que o Artigo 13 é tão polêmico?

Tim Berners-Lee (o “pai” da web) e Jimmy Wales (fundador da Wikipedia) estão entre os 70 nomes influentes que criticaram a proposta em carta aberta (PDF). Para eles, a lei criará mecanismos de vigilância e controle automatizado dos usuários.

Mas a controvérsia vai além disso. Existe o temor de que a lei seja usada de alguma forma para remover da web publicações que fazem críticas a governos, candidatos ou partidos políticos, por exemplo. Além disso, teme-se que a web seja dominada por conteúdo de corporações que detêm grande parte dos direitos autorais.



Tim Berners-Lee

O Artigo 13 poderá ainda forçar plataformas pequenas a adotar filtros exagerados: como elas não têm acesso a tecnologias avançadas de reconhecimento de conteúdo, vai ser melhor pecar pelo excesso do que sofrer punições por deixar alguma violação passar.

Se conteúdo legítimo acabar sendo barrado por conta de excessos na filtragem, pode-se então ter uma situação de censura. Somente gigantes como Google e Facebook teriam condições de fazer uma filtragem mais precisa, mas, provavelmente, isso implicaria em análises de conteúdo tão profundas que poderiam até ferir os direitos à privacidadedo usuário.
Artigo 11: taxas sobre links

O Artigo 11 é outro ponto polêmico da proposta, embora venha recebendo menos atenção. Essencialmente, ele determina que plataformas online paguem uma espécie de taxa ou licença para disponibilizar links para notícias com pequenos trechos destas.

Para os defensores da ideia, a cobrança deve recompensar veículos que geram conteúdo que atraem usuários para plataformas de companhias como Google e Facebook.



Mas, além de polêmica, essa ideia tem grandes chances de terminar em fracasso. Em 2014, o Google News foi fechado na Espanha por conta da imposição de uma cobrança similar. O efeito disso foi sentido já no dia seguinte à decisão: diversos veículos registraram entre 10% e 15% de queda nos acessos às suas páginas.

Em alguns sites, essa porcentagem foi maior. Não por acaso, um estudo realizado em 2015 aponta que cobranças sobre links podem gerar perdas expressivas de receita aos serviços de notícias justamente pela diminuição do tráfego.
O que acontece a partir de agora?

Apesar de uma comissão do Parlamento Europeu ter aprovado a proposta, ela vem sob a forma de uma instrução que determina que os países do bloco cumpram as obrigações, mas não especifica como. Isso significa que cada país terá que deliberar sobre as suas próprias leis para se adaptar e, ao mesmo tempo, discutir o assunto com os demais.

Isso pode levar meses. Até lá, os opositores continuarão tentando barrar o Artigo 11 e o Artigo 13. É o caso de Julia Reda, representante do Partido Pirata no Parlamento Europeu. Ela ressalta que ainda é possível derrubar os projetos: no dia 4 de julho (se a data não mudar), os 751 deputados europeus deverão tratar do assunto. Dependendo do que for decidido ali, os projetos seguirão para uma votação final.




We can still turn this around! The #linktax and #uploadfilters passed a critical hurdle today. But in just 2 weeks, all 751 MEPs will be asked to take a stand either for or against a free & open internet. The people of Europe managed to stop ACTA, we can #SaveYourInternet again!



Vale frisar que o Artigo 11 recebeu 13 votos a favor e 12 contra. O Artigo 13 obteve 15 votos a favor e 10 contra. Reda divulgou em seu site a lista dos parlamentares que foram favoráveis aos projetos.

Mesmo dizendo respeito à Europa, o assunto é de interesse global. Muitas plataformas são únicas ou integradas e, portanto, terão que mudar para usuários do mundo todo se tiverem que se adaptar à nova lei.

A expectativa é a de que haja uma mobilização tão forte na internet quanto as que derrubaram os projetos de lei SOPA e PIPA em 2012.

Com informações: The Verge, The Guardian, BBC, BoingBoing.

___________________________________________________________________________________________

A UE aprovou uma lei de direitos autorais que pode mudar a internet como a conhecemos

O relator sobre direitos de autor, Axel Voss, celebra após uma votação sobre alterações às reformas da UE em matéria de direitos de autor.

O parlamento da UE votou hoje (12 de setembro) para aprovar reformas controversas de direitos autorais que estão em andamento desde 2016 e pode transformar a internet para usuários na Europa e além.

A Diretiva de Direitos Autorais tem o objetivo de proteger os criadores de conteúdo e recebeu forte apoio de algumas das comunidades artísticas e de mídia. Mas seus críticos - incluindo pioneiros da internet e gigantes da tecnologia como Google, Facebook e Apple - argumentam que as reformas dificultariam o livre fluxo de informações, transformariam as empresas de tecnologia em policiais de conteúdo e levariam à ossificação da web.

Em uma sessão em Estrasburgo, na França, legisladores europeus aprovaram uma versão atualizada da Diretiva de Direitos Autorais, incluindo os muito contestados Artigo 11 e Artigo 13 . O Artigo 11 exige que os agregadores de notícias, como o Google, paguem às empresas de mídia o chamado “imposto sobre link” ao compartilhar seu conteúdo. O Artigo 13 exige que as plataformas policiem o conteúdo enviado para as postagens antes de sua publicação, usando um software automatizado que detecte e filtre violações de propriedade intelectual.

Axel Voss, o político alemão e membro do Parlamento Europeu (MEP) que liderou as iniciativas sobre os artigos 11 e 13, comemorou a votação e agradeceu aos seus colegas políticos "pelo trabalho que fizemos juntos", relata The Verge . "Este é um bom sinal para as indústrias criativas na Europa", disse Voss.

No entanto, os opositores da lei alertam que essas mudanças, destinadas a ajudar os criadores de conteúdo a se beneficiar financeiramente da web aberta, levarão apenas a uma internet fechada. Embora quase todos - incluindo gigantes da tecnologia e pioneiros da internet - admitam que as mudanças na lei de direitos autorais para garantir que os criadores sejam pagos pelo seu trabalho são necessárias, as soluções da Diretiva de Direitos autorais - particularmente o "link tax" e "upload filters" dos artigos 11 e 13 - não é o caminho a seguir, eles dizem.

Alguns legisladores europeus também condenaram as mudanças. A eurodeputada holandesa Marietje Schaake disse em comunicado após a votação que está decepcionada com o resultado. “O Parlamento desperdiçou a oportunidade de fazer a reforma dos direitos autorais no caminho certo. Este é um resultado desastroso para a proteção dos nossos direitos fundamentais, os usuários comuns da Internet e o futuro da Europa no campo da inteligência artificial. Demos um passo atrás em vez de criar uma verdadeira reforma dos direitos autorais que seja adequada para o século 21 ”, argumenta Schaake.

Um resumo da legislação da UE explica que a Internet se tornou o principal mercado de distribuição e acesso a conteúdos protegidos por direitos de autor. Ao contrário dos modelos de negócios tradicionais, no entanto, as pessoas que produzem e publicam conteúdo e detêm os direitos de propriedade intelectual têm dificuldade em impor seus direitos ao trabalho on-line. Os legisladores argumentam que isso “poderia colocar em risco o desenvolvimento da criatividade e produção de conteúdo criativo europeu”, e é por isso que são necessárias leis mais fortes que protejam os criadores.

Mas a nova lei não teria apenas um impacto sobre os criadores de conteúdo profissional, alertam tecnólogos. “O impacto do Artigo 13 também recairia sobre usuários comuns de plataformas de Internet - não apenas aqueles que fazem upload de música ou vídeo (freqüentemente dependendo das limitações e exceções de direitos autorais, que o Artigo 13 ignora), mas mesmo aqueles que contribuem com fotos, textos, ou código de computador para abrir plataformas de colaboração como Wikipedia e GitHub ”, escreveu o inventor da web, Tim Berners, e o pioneiro da Internet Vint Cerf em uma carta de 12 de junho (pdf) para Antonio Tajani, presidente do Parlamento Europeu.

A lei de direitos autorais ainda não está definida . Agora, os estados membros individuais votarão em casa antes que a diretiva retorne ao Parlamento Europeu para outra votação no final de 2018 ou início de 2019. Se aprovado, cada um dos estados membros interpretará a diretiva, que tem como objetivo unificar a abordagem da UE em relação à intelectualidade. propriedade, como bem entenderem.

Portanto, ainda há um longo caminho pela frente antes que os postos sejam policiados por máquinas e os feeds de notícias sejam obrigados a pagar por cada link. Aproveite a web como a conhecemos enquanto você ainda pode.


FONTES:

Share:

Brasil, através do governo Temer, volta a negar laços entre judeus e o monte do Templo em Jerusalém


A Assembleia-Geral das Nações Unidas (ONU) em Nova York na última sexta-feira (30) aprovou seis resoluções anti-Israel, incluindo duas que ignoram os laços do povo judeu com o Monte do Templo, em Jerusalém.

A principal resolução sobre Jerusalém, aprovada com 148 votos a favor, 11 contra e 14 abstenções, também negava que Israel tem a soberania sobre Jerusalém, que declara ser sua capital.

A outra resolução, que tratava do conflito de Israel com os palestinos, tratou do Monte do Templo – local mais sagrado para os judeus – apenas pelo nome dado a ele pelos muçulmanos: al-Haram al-Sharif [Nobre Santuário].

Uma terceira resolução determinava que Israel se retirasse das colinas de Golã, que ficam na fronteira do Estado judeu com a Síria.

Ao todo, foram 20 resoluções da ONU contra Israel somente em 2018. Na maioria delas, o Brasil votou em favor dos textos propostos por países muçulmanos. Os únicos países contrários a elas foram EUA, Canadá e Austrália.

Embora o presidente eleito Jair Bolsonaro repetidas vezes tenha se manifestados pró-Israel e prometido uma melhora significativa na relação bilateral, o governo de Michel Temer mantém a mesma posição que vinha sido defendida pelo PT. As relação entre os dois países está estremecida desde 2010, quando o ex-presidente Lula determinou o reconhecimento da Palestina como nação e se agravou em 2014, quando Dilma Rousseff defendeu Gaza e no ano seguinte recusou a indicação do embaixador israelense no Brasil.

Falando ao Jerusalém Post, Noa Furman, que faz parte da delegação de Israel na ONU, classificou como “vergonhosa” as resoluções da ONU contra seu país. Ela diz que as mais preocupantes são aquelas que ignoram os laços históricos de religiosos de judeus e cristãos com o Monte do Templo.

“Essa omissão foi deliberada. Fica claro que mais uma vez se reforça a recusa palestina em reconhecer a conexão histórica comprovada entre o judaísmo e o cristianismo com o Monte do Templo, e Jerusalém como um todo”, assegura. Para Furman, “A comunidade internacional deve parar de participar dessa negação descarada da história. Não podemos permitir essas tentativas descaradas de deslegitimar Israel”.

Por sua vez, o embaixador da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) nas Nações Unidas, Riyad Mansour, agradeceu aos Estados-membros da ONU pelo seu apoio à solução de dois Estados para o conflito, ressaltando que Jerusalém deveria ser reconhecida como capital do Estado Palestino. O diplomata defende que somente quando isso ocorrer haverá “paz duradoura” na região.


FONTE:
Share:

sábado, 1 de dezembro de 2018

A ONU quer ser o nosso governo mundial até 2030

Image result for GOVERNO MUNDIAL ATÉ 2030

Na década de 1960, um graduado informado mas ingênuo, eu estava caminhando pelo campus da Universidade da Pensilvânia com o Presidente do Departamento de Química, Prof. Charles C. Price. Ele me disse que era presidente dos Federalistas do Mundo Unido e perguntou se eu sabia o que era essa organização. Quando eu disse que não, ele respondeu que eles acreditavam em um governo mundial que cresceria fora das Nações Unidas. Fiquei perplexo porque nunca tinha ouvido alguém sugerir essa ideia antes. Para mim, a Organização das Nações Unidas era uma organização benevolente dedicada a pressionar a comunidade mundial na direção da paz e a operar programas de caridade para ajudar os povos empobrecidos e em dificuldades do mundo. Eu imaginei a ONU como uma espécie de United Way em escala mundial. 


Como surgirá a visão do Prof. Price de um novo governo mundial? Embora houvesse uma linha socialista em seu documento fundador, a Organização das Nações Unidas foi formada com base em uma visão de direitos humanos apresentada na “Declaração Universal dos Direitos Humanos” (DUDH), que colocou o conceito de direitos na vanguarda do progresso dos direitos humanos. corpo do mundo. E os direitos são o pilar da elevação da liberdade humana e da dignidade do indivíduo. O documento da DUDH seguiu muitos documentos surpreendentes que apresentavam os direitos como o conceito central do mundo pós-feudal: a Declaração (ou Bill) dos Direitos de 1689, a Declaração de Independência dos EUA com sua importante e vigorosa afirmação de direitos naturais inalienáveis, a poderosa Declaração de Direitos dos EUA promulgada em 1791, e a Declaração Francesa dos Direitos do Homem e do Cidadão (1789). 

A palavra “direitos” aparece em quase todas as frases do documento da ONU, de 1869 palavras. O documento é literalmente obcecado por direitos, e é preciso supor que eles também estão obcecados com os sucessos dos direitos, conforme manifestados no Reino Unido, nos EUA e na França. No entanto, existem alguns desvios do uso de direitos com os quais todos estamos familiarizados. No Artigo 3, Em vez dos direitos inalienáveis ​​de “vida, liberdade e busca da felicidade” encontrados em nossa Declaração de Independência, a ONU declara que todos têm o direito de “vida, liberdade e segurança pessoal”. trazer felicidade? Ou estão insinuando que a felicidade é um valor muito efêmero e também ocidental? Talvez metas de sobrevivência mais mundanas sejam necessárias na maior parte do mundo.




Nós vemos uma reprise de itens da nossa Carta de Direitos como condenação de punição cruel e incomum (Artigo 5), processo justo (Artigos 6,7,8,9, 10, 11, 14, 17), busca ilegal e apreensão ( Artigo 12), e liberdade de expressão e de reunião (artigos 19,20). Mas há novos direitos introduzidos que, já em 1945, apontavam o caminho para a intervenção da ONU no cotidiano das pessoas em todo o mundo. Ao longo do documento, eles afirmam o direito à alimentação, vestuário, assistência médica, serviços sociais, benefícios de desemprego e invalidez, cuidados infantis e educação gratuita, além do direito ao “pleno desenvolvimento da personalidade” (imagine, a ONU diz tenho o direito de ser eu) e o “direito de participar livremente da vida cultural da comunidade… e de desfrutar das artes” (cada um de nós tem o direito de desfrutar de uma pintura ou de um filme). 


Em 2015, setenta anos depois de seu documento original baseado em direitos, a ONU deu um passo gigantesco em direção ao governo global que foi sugerido apenas em seu primeiro documento de organização. Eles publicaram um documento intitulado “Transformando Nosso Mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”. Este documento contém 91 seções numeradas do programa da ONU para o governo mundial. A DUDH só é referenciada uma vez em todo o documento no Artigo 19. Ao contrário do original “documento-mãe” que tinha menos de 1.900 palavras, este documento é de 14.883 palavras. Os 91 itens estão abordando questões sob os cinco títulos de Pessoas, Planeta, Prosperidade, Paz e Parceria. Além disso, o documento fornece 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para melhorar a vida no planeta. 

O que se entende por termo “sustentável”? A definição mais citada vem da Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento: “desenvolvimento sustentável é um desenvolvimento que atende às necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de atender suas próprias necessidades. . ”As idéias e ideais anteriores de direitos, liberdade, igualdade e justiça são subsumidos sob o encontro de necessidades e um ambientalismo explícito que enfatiza a prevenção do esgotamento de recursos planetários escassos. Claro, a decolagem é o axioma marxista de que a sociedade deve ser organizada em torno da idéia de “de cada um de acordo com sua capacidade para cada um de acordo com suas necessidades”. Assim, o marxismo está implícito na sustentabilidade, mas é nuançado por sua aliança com a ciência aparentemente científica. ajustes e metas relacionadas ao ambientalismo. 

Todo o documento “Transformando o Nosso Mundo” é lançado em um fluxo de consciência de chavões piedosos para um futuro utópico. É um sonho utópico desproporcional. Cinco dos 17 itens pertencem ao ambiente. Há metas para as cidades, para as mulheres, para os pobres e até mesmo para a vida sob a água. Absolutamente nenhuma esfera da atividade humana está isenta de controle pela ONU. A palavra-chave, claro, não é mais “direitos”, exceto a referência oblíqua no Artigo 19. De fato, este escritor não viu a palavra direitos nem mesmo uma vez neste documento, embora essa palavra tenha aparecido em praticamente todas as frases do documento original da ONU. 

Os monopistas da década de 1950 e início da década de 1960 estão agora no banco do motorista da ONU, e fizeram o movimento deles. A sobreposição da palestra marxista sobre “atender às necessidades” mudou para o centro do palco. A ONU atribuiu-se um prazo para avançar em seu plano de hegemonia planetária. 

Essa transformação projetada detalhando (mas sem detalhes) uma nova ordem mundial de responsabilidade ambiental e uma redução significativa da pobreza e da fome nunca fala da dimensão prática de grandes manipulações de pessoas por líderes cínicos e burocratas ignorantes que mantêm suas posições por meio de terrorismo e suborno. Eles nunca discutem incompetência e corrupção, irmãos gêmeos da família da venalidade. O documento retrata um mundo sincero onde todos os que estão no poder querem ajudar a humanidade, apesar da evidência diária do egoísmo, corrupção, intenções assassinas, manipulações demoníacas, roubos, imoralidades pessoais, ódios e depravação absoluta de muitos líderes governamentais em todos os países do mundo. mundo, e entre os líderes de negócios também.

O ideal de sustentabilidade não está ligado a uma cosmovisão cristã; em vez disso, a liberdade individual é submersa em uma mentalidade coletivista cientificamente determinada, com decisões finais nas mãos dos diabólicos e onipotentes Big Brothers. A relevância do indivíduo é subestimada. Ele está sendo apresentado por uma ONU que não é mais pró-ocidental, um corpo muito maior do que existia em 1945. Você aceitará isso, ou é tempo, mais do que nunca, para começar a repensar nossa participação nesse corpo insustentável?


FONTE:
Share:

ALERTA: Você está provavelmente bebendo plástico em sua água da torneira

Resultado de imagem para MICROPLASTICS

Sabemos que os plásticos entopem nossos oceanos , lagos e estômagos de animais marinhos, mas uma investigação inédita da Orb Media também encontrou o material difundido no fornecimento de água potável em todo o mundo.

Orb, uma mídia digital sem fins lucrativos, trabalhou com pesquisadores da Universidade Estadual de Nova York e da Universidade de Minnesota e analisou 159 amostras de água potável em cinco continentes durante um período de dez meses. Os resultados indicaram que os plásticos estão em praticamente todos os lugares - 83% das amostras deram positivo para a presença de minúsculas partículas de plástico, também conhecidas como microplásticos .

Microplásticos fluindo das torneiras

"Fibras de plástico microscópicas estão saindo de torneiras de Nova York para Nova Delhi", afirma o estudo. "Dos salões do Capitólio dos EUA até as margens do Lago Victoria, em Uganda, mulheres, crianças, homens e bebês estão consumindo plástico com cada copo de água."

Os EUA estão ligados a Beirute, no Líbano, pelas taxas mais altas de contaminação por fibras de plástico, com 94%. Amostras dos EUA foram coletadas de 33 locais, incluindo o complexo do Capitólio dos EUA, a sede da Agência de Proteção Ambiental ( EPA ) em Washington, DC, e o Trump Grill em Nova York.

EUA não tem padrão de segurança para plástico em água potável

Notavelmente, um porta-voz da EPA disse ao PRI que os EUA não têm um padrão de segurança para plástico em água potável, nem plásticos na Lista de Candidatos Contaminantes da agência de substâncias não regulamentadas que são conhecidas por aparecerem na água da torneira.

Países europeus, incluindo França, Alemanha e Reino Unido, foram os que mais testaram a contaminação, mas ainda estavam em 72%.

A pesquisa da Orb aponta que as pessoas estão certamente consumindo esses poluentes não biodegradáveis ​​em nossa água e alimentos, e pede aos cientistas que estudem o que comer plástico pode significar para a saúde humana .

93% dos americanos testaram positivo para o BPA

Pesquisas anteriores mostram que produtos químicos de plástico podem ser absorvidos pelo corpo - 93% dos americanos com seis anos de idade ou mais testam positivo para o BPA (um químico de plástico). Descobriu-se que alguns compostos em plástico alteram os hormônios ou têm outros efeitos potenciais sobre a saúde humana.

Resultado de imagem para MICROPLASTICS

Estudos anteriores revelaram como os microplásticos são difusos no meio ambiente. Microfibras vêm de muitas fontes, incluindo tecidos sintéticos como poliéster, rayon e nylon, que podem liberar até 700.000 fibras por carga de lavagem, descobriram pesquisadores da Universidade de Plymouth . Um estudo de 2011 descobriu que os microplásticos perfazem 85% dos detritos produzidos pelos seres humanos nas costas em todo o mundo. Um estudorecente publicado no Boletim de Poluição Marinha descobriu que o Rio Hudson, em Nova York, está completamente contaminado com o material e pode estar enviando cerca de 300 milhões de fibras de roupas para o Oceano Atlântico todos os dias.

Nós temos uma saída?

"Isso deve nos colocar em nossos sentidos", disse Muhammad Yunus, Prêmio Nobel da Paz de 2006 e fundador do Grameen Bank, sobre a investigação da Orb. “Sabíamos que esse plástico está voltando para nós através da nossa cadeia alimentar. Agora vemos que está voltando para nós através da nossa água potável. Nós temos uma saída?

“Como o problema do plástico foi criado exclusivamente por seres humanos através de nossa indiferença, ele pode ser resolvido pelos seres humanos prestando atenção a ele”, acrescentou Yunus. "Agora, o que precisamos é de uma determinação para fazê-lo antes que ele nos pegue."


FONTE:
Share:

Trump adverte que as VACINAS contra a gripe são o maior 'golpe' na história da medicina

Segundo o presidente Trump, a vacina contra a gripe é o maior golpe na história da medicina, criado pela Big Pharma para ganhar dinheiro com pessoas vulneráveis ​​e deixá-las doentes.



Reclamações contra gripe são "totalmente ineficazes"

Em uma entrevista com Opie e Anthony em Sirius XM, Trump bateu vacinas contra a gripe como "totalmente ineficaz" e declarou que nunca teve uma.

Sua citação exata

Eu nunca tive um. E até agora eu nunca tive gripe. Eu não gosto da ideia de injetar coisas ruins em seu corpo. E isso é basicamente o que eles fazem. E este (a mais recente vacina contra a gripe) não tem sido muito eficaz para começar.

Trump, em seguida, passou a dizer:

Tenho amigos que religiosamente contraem a gripe e depois pegam gripe . Você sabe, isso ajuda meu pensamento. Eu vi muitos relatórios que a última vacina contra a gripe é virtualmente totalmente ineficaz.

PESSOAS QUE LEITAM ESTE ARTIGO LEIA TAMBÉM:


Vacinas contra a gripe estão cheias de "coisas ruins"

Trump está certo, pelo menos em parte - vacinas contra a gripe estão cheias de “coisas ruins”, incluindo formaldeído e mercúrio - duas poderosas neurotoxinas. (Quanto a se ele nunca teve uma vacina contra a gripe ... bem, ele nunca mentiu sobre qualquer outra coisa, certo?)

As vacinas são o único remédio no qual nenhuma evidência científica de segurança ou eficácia é requerida por ninguém: nem o FDA, nem o CDC e nem a mídia.

Todo mundo sabe que o mercúrio é tóxico para injetar no corpo humano.




Assista o vídeo abaixo ...
VÍDEO:
Então, por que os fabricantes não removem o mercúrio?


Estabelecendo um precedente perigoso

"Não posso fornecer estudos sobre se o Presidente conseguir a vacina, isso aumentará a cobertura", diz Daniel Salmon, vice-diretor do Instituto de Segurança de Vacinas da Johns Hopkins.

“Mas quando o presidente Ford e o presidente Obama foram vacinados [publicamente], eles enviaram a mensagem de que é realmente importante. Se a liderança não é certa - bem, eu também não teria tanta certeza.

O Dr. Peter Hotez, reitor da Escola Nacional de Medicina Tropical do Baylor College of Medicine, diz que gostaria de ver funcionários públicos inundando a mídia para enfatizar a importância de obter a vacina contra a gripe.

"Em geral, tivemos um baixo nível de defesa de vacinas vindo do HHS nas últimas duas décadas, e isso pode nos assombrar pela atual temporada de gripe", diz Hotez. “Sabemos que entre 3.000 e 50.000 americanos morrem de gripe todos os anos. São dezenas de milhares de mortes evitáveis ​​entre os americanos ”.
COMENTÁRIO NESTE POST

Este artigo é uma fonte aberta e foi originalmente publicado na Organic and Healthy


FONTE:
Share:

Reino Unido diz que é moralmente aceitável criar bebês transgênicos

Conselho de Ética britânico dá sinal verde para alterações no DNA que previnam doenças – mas também deixa portas abertas para fins estéticos


(CasarsaGuru/iStock)

Gattaca, o clássico de 1997, já tinha colocado o dedo na ferida: mostrava o quão distópico seria um mundo dividido entre seres humanos geneticamente modificados para nascerem “perfeitos” e os “filhos de Deus” – gente com DNA natural, “imperfeito”, que sofre com preconceito e termina alijada do mercado de trabalho. Como previa o filme de Andrew Niccol, o tema avançou bastante no mundo real nos últimos 20 anos. Tanto que já chegamos ao estágio de debater as implicações éticas de criar humanos transgênicos. Agora, o britânico Conselho Nuffield de Bioética deu o seu parecer sobre o assunto e declarou que é aceitável realizar as modificações dede que não sejam prejudiciais às crianças futuras e à sociedade em geral.

Em seu novo relatório, “Edição de Genoma e Reprodução Humana: Questões Sociais e Éticas”, o conselho concluiu que é moralmente permissível realizar o procedimento em um embrião, esperma ou óvulo humano para alterar as características de um futuro bebê. A princípio, o objetivo seria eliminar doenças hereditárias, mas o texto não descartou a hipótese de alterar o DNA para fins não-terapêuticos, como melhorias estéticas na criança, desde que fomente “discriminação ou divisão na sociedade”.

O relatório é importante porque o conselho é extremamente influente no Reino Unido, e no mundo. Há seis anos, a sua aprovação para um tratamento de fertilidade que exigia três pais genéticos para eliminar doenças mitocondriais debilitantes foi o suficiente para que a legislação mudasse, mesmo que a questão ainda gerasse polêmica.

No ano passado, os EUA editaram um embrião humano pela primeira vez, mas o destruíram assim que registraram o experimento. A China é a pioneira no assunto. Cientistas do país á realizaram diversas modificações – que incluíram deixar o embrião mais resistente ao HIV, por exemplo, mas não chegaram ao ponto de fazer nascer um bebê transgênico. Teoricamente, um dia as intervenções poderão ser usadas para gerar crianças mais inteligentes, com melhor memória, mais saudáveis e fisicamente mais fortes.

Na época do lançamento de Gattaca, o marketing do filme achou engraçado publicar anúncios em jornais americanos oferecendo bebês sob encomenda. A propaganda irônica mostrava como você poderia escolher o sexo, a cor dos olhos e até diminuir as chances do seu filho sofrer de calvície precoce. Pelo visto, não estamos tão longe de ver algo assim no mundo real.



FONTE:
Share:

Falhas na regulação sobre bioética explicam destaque chinês com 'bebês transgênicos' e 'macacos clonados'

Ausência de pressão de grupos religiosos e falta de penalidades para infrações também ajudam a explicar realização de experimentos criticados pela comunidade internacional.


DNA — Foto: Pixabay/Arquivo

Macacos clonados, fábrica de clonagem de vacas e agora "bebês transgênicos": o retumbante anúncio do cientista He Jiankui do nascimento de humanos geneticamente modificados ilustra as falhas na regulação sobre a bioética na China.

O país tenta se tornar líder em pesquisa genética e clonagem, e as áreas cinzentas da legislação local abriram caminho para experimentos às vezes controversos.

Cientistas chineses foram os primeiros em 2015 a conseguir modificar genes de embriões humanos, de acordo com a revista Nature.

No mesmo ano, um canteiro de clonagem animal estava sendo construído em Tianjin (norte), com a ambição de produzir até um milhão de gados de corte por ano.

Related image

No início de 2018, pesquisadores chineses conseguiram dar à luz pela primeira vez macacos geneticamente idênticos pela mesma técnica de clonagem usada há mais de 20 anos para a famosa ovelha Dolly, o primeiro mamífero clonado.

Se estas pesquisas podem contribuir para o desenvolvimento de medicamentos, ou de tratamentos, para doenças humanas, elas levantam questões éticas, especialmente no que diz respeito à clonagem humana.

Em vídeos publicados no YouTube, o pesquisador He Jiankui, que dirige um laboratório em Shenzhen (sul), anunciou no domingo o nascimento de gêmeos, cujo DNA foi modificado para torná-los resistentes ao vírus da aids.

Falsificação

De acordo com Qiu Renzong, pioneiro das questões de bioética na China, os pesquisadores muitas vezes escapam das sanções, porque devem prestar contas apenas à sua instituição. E alguns não recebem qualquer punição por negligência.

"A China protege muito os cientistas. Se cometermos um pequeno erro, para por aí. Não há sanções", lamentou nesta terça-feira em Hong Kong, à margem de uma conferência internacional sobre modificações genéticas.

He Jiankui deve falar na quarta e na quinta-feira nesse mesmo evento.

Leis mais flexíveis permitiram que a China tivesse uma vantagem no campo biomédico, aponta Michael Donovan, fundador da Veraptus, uma empresa de biotecnologia baseada no país asiático.

"Em muitos setores, se o legislador não decidiu, é que podemos avançar, com cautela. É nessas águas turbulentas que a pesquisa sobre modificação genética se encontra neste momento", diz.

E não há a pressão de grupos religiosos como existe, por exemplo, nos Estados Unidos, "mas trata-se da vida, e as pessoas ainda se preocupam com irmos rápido demais".

"Parece que na China não temos restrições morais que nos impeçam de realizar esse tipo de pesquisa", disse à AFP Fang Gang, professor assistente de biologia na Universidade de Nova York em Xangai.

'Temores'

No entanto, a Comissão Nacional da Saúde, que tem o status de ministério, ordenou uma investigação sobre o caso.

Durante uma reunião com a imprensa nesta terça-feira, o vice-ministro chinês da Ciência e Tecnologia, Xu Nanping, afirmou, por sua vez, segundo a televisão pública, que, se os gêmeos realmente nasceram, era ilegal.

De fato, de acordo com os princípios éticos promulgados em 2003 com relação à pesquisa com células-tronco embrionárias, a cultura in vitro é possível, mas apenas por 14 dias após a fertilização, ou transplante do núcleo.

O hospital Harmonicare, envolvido na pesquisa, assegurou que o documento que autorizava o experimento provavelmente teria sido falsificado.

Um grupo de 122 cientistas chineses lamentou a "loucura" do pesquisador. E a Universidade de Ciência e Tecnologia do Sul, onde He Jiankui trabalhava, disse que sua pesquisa era "uma séria violação dos padrões éticos e acadêmicos".

O homem que provocou o escândalo defendeu seu trabalho em um novo vídeo, dizendo que ele quer ajudar famílias com doenças genéticas.

"Achamos que a ética está do nosso lado. Lembrem-se de Louise Brown", o primeiro bebê nascido por fertilização in vitro (FIV) em 1978.

"Os mesmos medos e as mesmas críticas se repetem hoje", completou.


fonte:
Share:

SUA LOCALIZAÇÃO, EM TEMPO REAL.

Blogger Themes

Total de visualizações de página

Seguidores deste canal

Arquivo Geral do Blog

Minha lista de Sites e Blogs Parceiros

Translate this page

Receba notícias em seu e-mail

Hora Certa

Elite Maldita

Subscribe here to get our newsletter in your inbox, it is safe and EASY!