quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Pastor critica “Halloween Gospel” e diz que igrejas estão “brincando com o pecado”

“Nesses tempos difíceis, em que muitos estão brincando com o pecado e até com festas satânicas, quantos cristãos sérios estão dispostos a protestar contra as heresias verificadas entre nós à semelhança de Lutero?”



Pastor critica “Halloween Gospel” e diz que igrejas estão “brincando com o pecado”

O pastor e escritor Ciro Zibordi publicou um artigo sobre a festa de Halloween, e criticou o fato de a festa conhecida como “Dia das Bruxas” ter se tornado comum entre algumas igrejas evangélicas.

Contextualizando a origem histórica da festa de Halloween, o pastor cita que a celebração pagã tem ligação com o dia de todos os santos da Igreja Católica e a antiga celebração Samhain, da antiga cultura celta.

Zibordi ataca a aparente ingenuidade da festa: “Tudo parece uma grande brincadeira, mas — conscientemente ou não — os participantes dessa festa estão se envolvendo com o ocultismo e o satanismo”, afirma o pastor assembleiano.

O pastor lamenta que igrejas tentem adaptar a cultura secular para o ambiente eclesiástico: “Alteram o nome da brincadeira satânica para Jesusween ou Elohin! Aos pastores destas igrejas quero apresentar um motivo melhor para festejar”, escreveu o pastor, sugerindo comemorar o aniversário do protestantismo: “Em vez de comemorarem o Dia das Bruxas, os pastores que se prezam deveriam se lembrar da Reforma Protestante. Na manhã de 31 de outubro de 1517, véspera do Dia de Todos os Santos, Martinho Lutero — sacerdote romanista, professor de teologia e filho de um minerador bem-sucedido — começou a questionar de modo mais contundente a Igreja Católica e a atacar a autoridade do papa”.

Ciro Zibordi encerra seu artigo perguntando a respeito dos cristãos envolvidos com a a caça às heresias: “Nesses tempos difíceis, em que muitos estão brincando com o pecado e até com festas satânicas, quantos cristãos sérios estão dispostos a protestar contra as heresias verificadas entre nós (2 Pe 2.1; At 20.28), à semelhança de Lutero?”.

Leia abaixo, a íntegra do artigo “Reforma é coisa séria, e Halloween não é brincadeira”, do pastor Ciro Zibordi:

É lamentável que, no fim do mês de outubro, jovens cristãos se lembrem mais do Halloween — o Dia das Bruxas — do que da Reforma Protestante! Isso resulta do grande número de enganadores (autodenominados apóstolos, pastores etc.) que estão surgindo, os quais não priorizam o ensino das Escrituras, e sim a falaciosa Teologia da Prosperidade e os shows gospel. Nesses tempos pós-modernos ou, para usar uma expressão bíblica, nesses últimos dias, há muitos que se dizem cristãos chamando o mal de bem, e o bem de mal (Is 5.20). Vejo na grande rede pretensos ministros do Evangelho dizendo aos jovens cristãos que eles podem participar do Halloween sem peso na consciência. Ignora-se a relação dessa festa com o ocultismo e o satanismo.

Já existe até denominações evangélicas (evangélicas?) que, para não terem problema com a consciência, substituem festas pagãs por festas gospel, mantendo as características originais das celebrações. Por exemplo, a festa “jesuína” substitui a junina, e o “Jesusween” ou o “Elohin” são colocados no lugar do Halloween. Infelizmente, ainda há muitos jovens cristãos que desconhecem a importância da Reforma Protestante. Eles sabem que 31 de outubro é o Dia das Bruxas, mas não sabem que o que aconteceu, no mesmo dia, há quase quinhentos anos!

Na manhã de 31 de outubro de 1517, na véspera do Dia de Todos os Santos, Martinho Lutero, sacerdote, professor de teologia e filho de um minerador bem-sucedido, deu início à Reforma, oficialmente, ao questionar de modo contundente a autoridade papal, as indulgências e outros desvios da Igreja Católica Romana. Naquela manhã, Lutero afixou na porta da Catedral de Wittenberg (pronuncia-se “vitemberk”) um pergaminho que continha 95 declarações. Estas, conhecidas como teses, eram quase todas relacionadas com a venda de indulgências, pacotes caros pagos pelo perdão, inclusive das pessoas que já haviam partido para a eternidade.

Em junho de 1520, Lutero foi excomungado por uma bula — decreto do papa que continha o seu selo oficial —, mas em dezembro, com ousadia, ele queimou esse documento em reunião pública, à porta de Wittenberg, diante de uma assembleia de professores, estudantes e o povo. Em 1521, ele foi intimado a comparecer ante as autoridades romanistas, em Worms. E declarou: “Irei, ainda que me cerquem tantos demônios quantas são as telhas dos telhados”. E, naquele ano, no dia 17 de abril, ele se apresentou à Dieta do Concílio Supremo, presidida pelo imperador Carlos V. Para escapar da morte, teria de se retratar. Mas ele não faria isso, a menos que fosse desaprovado pelas próprias Escrituras. E asseverou perante todos: “Aqui estou. Não posso fazer outra coisa. Que Deus me ajude. Amém”.

Considerado herege, ao regressar à sua cidade Lutero foi cercado e levado por soldados ao castelo de Wartzburg, na Turíngia, onde ficaria “guardado”. Ali, ele traduziu o Novo Testamento para o alemão, obra que, por si só, o teria imortalizado. Ao regressar a Wittenberg, reassumiu a direção do movimento a favor da Igreja Reformada, e a partir daí os princípios da Reforma Protestante se espalharam por toda a Europa, com ajuda de homens de valor, como Ulrico Zuínglio, João Calvino, Jacques Lefevre, João Tyndale, Tomás Cranmer, João Knox, etc. Assim como muitos teólogos estão fazendo hoje, os católicos romanos haviam substituído a autoridade da Bíblia pela autoridade da igreja. Eles ensinavam que a igreja era infalível e que a autoridade da Bíblia procedia da tradição. Os reformadores afirmavam que as Escrituras eram a sua regra de fé, de prática e de viver, e que não se devia aceitar nenhuma doutrina que não fosse ensinada por elas.

Prezado jovem, celebre a Reforma Protestante! Ainda que os reformadores não tenham sido perfeitos, ao combater as heresias romanistas, eles devolveram a Bíblia ao povo, que estava sem rumo. Nos dias de hoje, nesses tempos tão difíceis e trabalhosos, em que muitos estão brincando com o pecado e até com festas satânicas, quantos jovens estão dispostos a protestar contra as heresias verificadas no meio evangélico (2 Pe 2.1; At 20.28), à semelhança dos reformadores? Não é tempo de brincadeira! Chegou a hora de reformar o evangelicalismo e de fazer valer os cinco lemas da Reforma Protestante: somente as Escrituras; somente a fé; somente a graça; somente Cristo; somente a Deus toda a glória!

Ciro Sanches Zibordi


FONTE:
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Faça seu comentário aqui ou deixe sua opinião.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Sobre Mim

Minha foto
UMA PESSOA SINCERA, TEMENTE A DEUS E SERVO DE NOSSO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO. INTIMIDADE ALÉM DAS APARÊNCIAS!!!! APOIO OS SEGUINTES LINKS: (www.observandoanovaordem.blogspot.com/) (www.simceros.org/) CANAL OTANERY1, DO YOU TUBE.

Blogger Themes

Total de visualizações de página

Seguidores deste canal

Arquivo Geral do Blog

Minha lista de Sites e Blogs Parceiros

Translate this page

Receba notícias em seu e-mail

Hora Certa

Elite Maldita

Subscribe here to get our newsletter in your inbox, it is safe and EASY!

UOL AFILIADOS

LOMADEE.COM

LOMEDEE.COM